cabonnet

A Polícia Civil de São Paulo terá 134 armas de eletrochoque. De acordo com o governo do estado, é a primeira vez que a corporação utilizará arma de baixo potencial de letalidade.

O contrato para fornecimento foi assinado com a empresa Axon Enterprise no início deste mês com custo de R$ 962 mil. A previsão é que a entrega aconteça até novembro para uso imediato de agentes e investigadores da Polícia Civil.

Arma de eletrochoque será usada pela Polícia Civil de São Paulo pela 1ª vez

Arma de eletrochoque será usada pela Polícia Civil de São Paulo pela 1ª vez - Divulgação/Polícia Civil

A arma é um dispositivo portátil similar a um convencional, mas que dispara dois dardos conectados a fios condutores quando o gatilho é acionado. O impacto provoca uma descarga elétrica que afeta o sistema nervoso da pessoa atingida, deixando-a temporariamente incapacitada.

Esse tipo de arma já é utilizado pela Polícia Militar tanto em operações especiais como no patrulhamento ostensivo de centros urbanos. O uso de armas de baixo potencial de letalidade, diz o governo, tem rígidos protocolos de segurança e também exige treinamento específico dos agentes.

Em março, o governo fechou acordo no valor de R$ 19,8 milhões também com a Axon Enterprise para a aquisição de 2.500 armas de eletrochoque para a PM, que já mantém em uso cerca de 7.500 mil equipamentos desse tipo.

Segundo o governo, a nova compra dá sequência no investimento de modernização do armamento das forças de segurança. Neste ano, houve a aquisição de mais de 1.800 armas para a Polícia Civil, com investimento de mais de R$ 23,3 milhões.

HUM TUPÃ

Compartilhe:

Receba Notícias do TupãCity pelo Whatsapp


Participe dos nossos grupos

Fique informado em tempo real sobre as principais notícias de Tupã e região.

Instagram