HUM TUPÃ


Dentes de Abelisauridae, um grupo de dinossauros carnívoros, encontrados em Presidente Prudente (SP) — Foto: Leonardo Bosisio/g1

Dentes de Abelisauridae, um grupo de dinossauros carnívoros, encontrados em Presidente Prudente (SP) — Foto: Leonardo Bosisio/g1

O paleontólogo William Roberto Nava, do Museu de Paleontologia de Marília (SP), divulgou com exclusividade ao g1, nesta sexta-feira (18), a descoberta de novos fósseis escavados no Sítio Paleontológico William’s Quarry, no Parque dos Girassóis, em Presidente Prudente (SP).

Segundo Nava, os fósseis são de ossos de Enantiornithes, um grupo de aves pré-históricas que viveu no município, dentes de Abelisauridae, um grupo de dinossauros carnívoros, e osteodermos ou escudos dérmicos de crocodilomorfos.

Paleontólogo William Nava com os ossos de Enantiornithes encontrados em Presidente Prudente (SP) — Foto: Leonardo Bosisio/g1

Paleontólogo William Nava com os ossos de Enantiornithes encontrados em Presidente Prudente (SP) — Foto: Leonardo Bosisio/g1

O paleontólogo informou que os fósseis foram escavados em 2023 no local e ressaltou que a maior ocorrência no sítio paleontológico são dos ossos das aves.

“A maior ocorrência são os ossinhos de aves, que são encontrados desde 2004, e entre os ossinhos das aves, às vezes, encontramos também os dentes, fósseis de lagartos, anfíbios. Nós temos aqui um sítio paleontológico bastante rico em micro vertebrados, pequenos animaizinhos. Já encontramos algum osso de dinossauro aqui? Nunca! Não tem evidência, até o momento, de osso de dinossauro. Apenas os dentes”, afirmou Nava ao g1.

 

Ossos de Enantiornithes, um grupo de aves pré-históricas, encontrados em Presidente Prudente (SP) — Foto: Leonardo Bosisio/g1

Ossos de Enantiornithes, um grupo de aves pré-históricas, encontrados em Presidente Prudente (SP) — Foto: Leonardo Bosisio/g1

O responsável pelas escavações reforçou que o sítio paleontológico de Presidente Prudente é “importante para a paleontologia brasileira e internacional”, porque, segundo ele, é um local que tem no subsolo “esses importantes vestígios da Era Cretácea, de animais que viveram há 70, 80 milhões de anos”.

Nava disse ainda que já foram publicados dois artigos científicos, em 2020 e 2021, tratando sobre fósseis coletados em Presidente Prudente e que até o final deste ano deve sair a terceira publicação científica.

 

“É uma forma de divulgar as escavações, o material que é bastante raro e promove as cidades, promove o nome de Presidente Prudente, o nome do Museu de Paleontologia de Marília e enriquece a ciência”, avaliou o paleontólogo ao g1.

 

Ele contou também que procura fazer escavações no local quando é possível e tenta ir uma vez por mês até o sítio paleontológico. O paleontólogo faz a maioria das escavações sozinho, pois não possui uma equipe e os fósseis encontrados em Presidente Prudente são levados para o Museu de Marília para o estudo do material “com as ferramentas apropriadas” e depois ficam expostas por lá.

Osteodermos ou escudos dérmicos de crocodilomorfos encontrados em Presidente Prudente (SP) — Foto: Leonardo Bosisio/g1

Osteodermos ou escudos dérmicos de crocodilomorfos encontrados em Presidente Prudente (SP) — Foto: Leonardo Bosisio/g1

Escavação conjunta internacional

A partir do dia 5 de setembro de 2023, o paleontólogo William Nava retorna à Presidente Prudente acompanhado do professor doutor Luis Chiappe, do Museu de História Natural de Los Angeles, nos Estados Unidos da América, e do paleontólogo Agustin Martinelli, do Museo Argentino de Ciencias Naturales “Bernardino Rivadavia”, de Buenos Aires, na Argentina para uma escavação conjunta prevista para durar uma semana, até o dia 11 ou 12 do mesmo mês.

Essa é a quarta vez que ele traz os pesquisadores estrangeiros para procurar por fósseis em Presidente Prudente e, segundo Nava, a expectativa é de “novos achados”. Após o período de escavações na maior cidade do Oeste Paulista a equipe retorna para Marília, onde vai preparar as peças coletadas no ano passado e as coletadas esse ano para serem analisadas.

Osteodermos ou escudos dérmicos de crocodilomorfos encontrados em Presidente Prudente (SP) — Foto: Leonardo Bosisio/g1

Osteodermos ou escudos dérmicos de crocodilomorfos encontrados em Presidente Prudente (SP) — Foto: Leonardo Bosisio/g1

O paleontólogo informou ao g1 que o professor de Los Angeles estuda o tipo de fóssil de ave encontrado em Presidente Prudente e que ossos semelhantes também são encontrados na China e na Mongólia.

“Para o professor Luis Chiappe é um achado muito importante, porque pode trazer novas informações, comparar com as aves chinesas, com as aves encontradas na Argentina. Sabemos, por exemplo, que as aves encontradas aqui são de espécies diferentes das que viveram na Argentina, na China. É o mesmo grupo, é um grupo chamado Enantiornithes, que eram aves primitivas de tamanho entre um beija-flor e uma pomba, mais ou menos”, explicou Nava.

 

Dentes de Abelisauridae, um grupo de dinossauros carnívoros, encontrados em Presidente Prudente (SP) — Foto: Leonardo Bosisio/g1

Dentes de Abelisauridae, um grupo de dinossauros carnívoros, encontrados em Presidente Prudente (SP) — Foto: Leonardo Bosisio/g1

O paleontólogo disse ainda que as aves foram extintas junto com os dinossauros e que o estudo dos fósseis vai permitir entender “como houve a evolução voo através do tempo geológico” e como essas aves se comportavam.

A parceria com os dois pesquisadores estrangeiros teve início em 2015 e nos anos de 2017, 2019 e 2022 o professor doutor Luis Chiappe e o paleontólogo Agustin Martinelli estiveram em Presidente Prudente para realizar escavações.

Paleontólogo William Nava realizando escavação em sítio paleontológico, em Presidente Prudente (SP) — Foto: Leonardo Bosisio/g1

Paleontólogo William Nava realizando escavação em sítio paleontológico, em Presidente Prudente (SP) — Foto: Leonardo Bosisio/g1

Nava informou ao g1 que coletaram “muitos fósseis”, especialmente os ossos das aves, que, conforme ele, “é um material bastante particular, bastante diferente e bem raro também”.

Em 2022, os pesquisadores encontraram uma carapaça de tartaruga, “algo que não havia sido registrado antes aqui”.

“É uma descoberta muito importante. O material está sendo analisado no Museu de Marília, estamos vendo se é uma espécie de tartaruga fóssil nova ou não. E revelamos inúmeros outros ossinhos de aves, fósseis de lagartos, fósseis de anfíbios, dentes. Nós temos a certeza de que outros fósseis importantes surgirão daqui”, finalizou Nava ao g1.

Sítio Paleontológico William s Quarry, em Presidente Prudente (SP) — Foto: Leonardo Bosisio/g1

Sítio Paleontológico William s Quarry, em Presidente Prudente (SP) — Foto: Leonardo Bosisio/g1

Museu de Marília

O Museu de Paleontologia de Marília foi inaugurado em 2004 e está localizado na Avenida Sampaio Vidal, n° 245, no Centro do município.

O local conta com duas réplicas em tamanho real de dinossauros que viveram na região. Além disso, conta ainda com realidade virtual, totem informativo e os fósseis coletados pelo William Nava em exposição.

O horário de funcionamento é de terça a sexta-feira das 9h às 17h e aos sábados das 13h às 18h. A entrada é gratuita.

Ossos de Enantiornithes e dente de Abelisauridae encontrados em Presidente Prudente (SP) — Foto: Leonardo Bosisio/g1

Ossos de Enantiornithes e dente de Abelisauridae encontrados em Presidente Prudente (SP) — Foto: Leonardo Bosisio/g1

Sítio Paleontológico William s Quarry, em Presidente Prudente (SP) — Foto: Leonardo Bosisio/g1

Sítio Paleontológico William s Quarry, em Presidente Prudente (SP) — Foto: Leonardo Bosisio/g1

cabonnet

Compartilhe:

Receba Notícias do TupãCity pelo Whatsapp


Participe dos nossos grupos

Fique informado em tempo real sobre as principais notícias de Tupã e região.

Instagram